Ensino

Home Ensino
Voltar

Apresentação

A Fundação Oswaldo Cruz possui forte engajamento e tradição no ensino necessário à saúde pública, e especialmente naquele dirigido ao fortalecimento das capacidades do Sistema Único de Saúde, tendo iniciativas sistemáticas na educação técnica, nas atualizações e aperfeiçoamentos, e nos programas de pós-graduação lato sensu e stricto sensu.

As práticas acadêmicas da FIOCRUZ são ancoradas no tripé ensino-pesquisa-extensão no seu sentido mais amplo, articulado com o desenvolvimento científico e a inovação tecnológica, bem como, a formação, qualificação e aperfeiçoamento de pessoal para o setor saúde, especialmente para o SUS. A produção de conhecimentos está intrinsecamente vinculada à inovação para a saúde, o desenvolvimento social e a cidadania, em conformidade com a visão de futuro da FIOCRUZ.

A magnitude e complexidade da oferta educacional e científica da FIOCRUZ podem ser percebidas no alto nível dos resultados das atividades de suas 16 Unidades constituídas de pesquisas, ensino nos níveis técnico, de pós-graduação stricto sensu e lato sensu, qualificação profissional, com ampla produção de teses, dissertações, inovações tecnológicas, publicações e com impacto de sua produção técnico-científica na sociedade brasileira e no exterior. Dessa forma, a convivência entre ações voltadas para a formação de pesquisadores e para a formação de profissionais de saúde marca, desde suas origens, a história das ações de ensino na FIOCRUZ, envolvendo parcerias diversas com agências estatais e instituições universitárias, nacionais e internacionais.

Atualmente, o ensino de pós-graduação Stricto sensu na Fiocruz é oferecido através de 32 programas reconhecidos pela CAPES, nas modalidades acadêmica (22) e profissional (10). Além destes cursos, a Fiocruz associa-se a outras instituições para a oferta de cinco programas de pós-graduação.

No que se refere ao ensino lato sensu, presente na grande maioria de unidades da Fiocruz, a pós-graduação lato sensu desenvolve-se sob a perspectiva de educação continuada e tem por objetivo aprofundar conhecimentos e habilidades em um setor definido para o exercício de profissionais inseridos ou não no mercado de trabalho.

A pós-graduação lato sensu da Fiocruz desempenha papel fundamental na formação de quadros de dirigentes dos SUS nos estados e municípios, oferecendo cursos diversos em resposta à crescente demanda por novos conhecimentos e tecnologias exigidos pelo SUS. Atualmente, a FIOCRUZ apresenta cursos lato sensu nas modalidades de especialização e residência, além da qualificação profissional, com cursos de atualização, aperfeiçoamento e capacitação. Por ano são oferecidos em média 50 cursos diferentes de especialização, 35 cursos de capacitação e 20 de residência. Na modalidade de educação a distância, a Fiocruz acumula enorme experiência, desde seu início em 1998, configura-se como uma iniciativa estratégica de formação de profissionais de saúde. Os cursos nessa modalidade são oferecidos por meio de parcerias internas de suas diversas unidades, e hoje já ultrapassam 50 mil egressos. A Fiocruz também é uma instituição integrante da Rede UNA-SUS, tendo produzido e oferecido diversos cursos principalmente relacionados às temáticas saúde pública e doenças infecto-contagiosas, além de exercer a secretaria executiva da Rede, que conta com com mais de 50 mil alunos matriculados em cursos de especialização.

A Fiocruz realiza ainda atividades de ensino, pesquisa e cooperação no campo da Educação Profissional em Saúde. Atua, portanto, com o segmento dos trabalhadores de nível fundamental e médio, que correspondem à maioria dos profissionais de Saúde no Brasil

Para saber mais sobre o Ensino na Fiocruz acesse os documentos Plano Político Pedagógico e Diretrizes para as atividades de pós-graduação na Fiocruz

Detalhes

Projeto Político Pedagógico
Ensino

Histórico

A Fiocruz é referência para a Saúde Pública no Brasil e no mundo, dedicando-se à pesquisa, assistência, vigilância à saúde e produção de vacinas, medicamentos e outros insumos para a saúde. E destaca-se – em todo seu histórico de 115 anos – pela formação de trabalhadores para o referido campo, com a oferta de cursos de especialização, aperfeiçoamento e atualização, ensino técnico profissionalizante, bem como com a oferta de programas de mestrado e doutorado.

Como principal instituição não-universitária de formação de recursos humanos na área de saúde no país, a Fiocruz exerce papel de formar quadros altamente especializados para o sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação e contribuir para o atendimento às necessidades do Sistema Único de Saúde - SUS. A este papel soma-se intensa atividade de educação e divulgação científica, que resultou na conquista do Prêmio Institucional Educacional de 2014 pela Associação Brasileira de Imprensa e Folha Dirigida e o Prêmio José Reis de divulgação científica concedido pelo CNPq em 2015.

A rica trajetória do ensino na FIOCRUZ, vem sendo objeto de análises institucionais e trabalhos acadêmicos, que seguiu alguns caminhos que foram trilhados na constituição de uma instituição nacional de grande compromisso com as políticas públicas de saúde do país com a marca do trabalho parceiro desde as suas origens, tendo adotado essa diretriz como fundamental para escrever sua história e organizar seus programas e atividades. Uma instituição que reúne excelência com compromisso social, história e modernidade, ensino e pesquisa, com uma grande capacidade de renovação e de cooperação em todas as regiões do país e com outros países. Para conhecer essa história acesse o documento Diretrizes das atividades de pós-graduação na Fiocruz e visite a Linha do tempo no nosso Portal.

Detalhes

Ensino

Governança

A governança do ensino na FIOCRUZ acompanha o modelo de gestão da instituição como um todo, que se organiza em colegiados, com reuniões periódicas e análises de processos de maior abrangência na instituição e nas Unidades.

A cada quatro anos realiza-se o Congresso Internohttp://congressointerno.fiocruz.br/   – com ampla representação das Unidades e da Presidência da instituição – que é o órgão máximo de representação institucional, deliberando sobre os assuntos estratégicos do macroprojeto institucional. Nele, a área de Ensino se faz representar de forma bastante expressiva, acompanhando e se integrando aos ciclos de renovação institucional.

Outro importante componente da governança da Fiocruz é constituído pelas diversas Câmaras Técnicas, cujos pronunciamentos têm caráter propositivo, e que têm a finalidade de prestar assessoria técnica e científica à Presidência e ao Conselho Deliberativo nas suas áreas de competência, visando a formulação e avaliação de políticas institucionais, e a promoção da articulação horizontal entre os diversos Programas Institucionais. Cada Câmara Técnica é coordenada pelo Vice-Presidente da área a que está relacionada. Dentro dessa dinâmica geral de governança da instituição, a gestão da área de ensino é realizada mediante a articulação de três âmbitos distintos: (1) o âmbito da Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação (VPEIC); (2) o âmbito das Unidades; e (3) o âmbito dos programas de ensino e cursos.

No que se refere à Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação (VPEIC), cabe a ela coordenar a Câmara Técnica de Ensino, formada por representações de cada Unidade que elabora as propostas de diretrizes para o ensino e outras matérias que envolvem a organização e gestão dessa área na FIOCRUZ. A Vice-Presidente da área apresenta essas propostas ao Conselho Deliberativo, com vistas à sua aprovação. A VPEIC conta ainda com uma Coordenação-Geral de Pós-Graduação.

O segundo plano de gestão do ensino se realiza nas Unidades, com as suas Vice-Direções de Ensino e algumas delas com Câmara Técnica de Ensino da Unidade, com representações departamentais.

O terceiro âmbito é representado pela gestão dos cursos ou de programas de ensino, alguns dos quais sob a forma de colegiado.

Aqui, vale destacar que cada Unidade responsável por oferta de ensino possui suas estruturas responsáveis pelos serviços de secretaria acadêmica. Tais serviços de gestão acadêmica contam com equipes especializadas, cada um estabelecido de acordo com as necessidades e especificidades de cada unidade, todos utilizando o sistema de gerenciamento acadêmico – SIGA

Detalhes

Ensino

Fiocruz como escola de governo

Em 1998 concebeu-se, na ENSP, a ideia de Escola de Governo em Saúde, para viabilizar o compromisso com a geração de inovações para o SUS, por meio da formação de gestores dos estados e municípios. Tratou-se de uma reorientação estratégica dos programas de ensino, pesquisa e cooperação técnica com vista a aumentar a capacidade de governança de sistemas, serviços, organizações e programas de saúde, e também gerar novos conhecimentos e tecnologias, consolidando o papel estratégico da instituição como agência pública governamental. Como consequência, logo em seguida buscou-se ampliar a participação da Escola na capacitação profissional dos quadros do Ministério da Saúde e de suas agências reguladoras, e consolidar a Escola de Governo em Saúde, principalmente pelas estratégias associadas ao uso de tecnologias de educação a distância e o desenvolvimento de parcerias e atuação em rede com outras escolas de saúde pública.

As demais unidades da Fiocruz, em diferentes graus e momentos, de modo próprio ou em parceria com a ENSP, também passaram a se engajar na oferta de propostas educacionais voltadas a gestores e técnicos atuantes no SUS. Assim, foi se constituindo o entendimento de que o conceito de Escola de Governo em Saúde envolve toda a instituição.

Em abril de 2011, o Conselho Deliberativo da Fiocruz aprovou o conceito de Escola de Governo em Saúde para toda a instituição e consolidou a ideia de Núcleo Federal na Fiocruz Brasília, que veio a ser denominado, a partir de 2015 Escola Fiocruz de Governo. A Diretoria Regional de Brasília já operava cursos de pós-graduação lato sensu, atualizações e aperfeiçoamentos desde o ano de 2004, e a partir de 2010 passara a sediar a Secretaria Executiva da Universidade Aberta do SUS.

Desta forma, o conceito de Escola de Governo em Saúde tornou-se uma orientação estratégica na atuação do conjunto da Fiocruz, que ganhou toda concretude a partir de 2014 quando, em razão das alterações nos processos de credenciamento de cursos de pós-graduação lato sensu das então chamadas “instituições não educacionais” (aquelas que não se constituíam como Instituição de Ensino Superior em sentido estrito), foi necessário preparar toda a Fiocruz para o processo de avaliação externa, conduzido pelo INEP, para seguir a orientação dada pela Resolução CNE/CES nº 07, de 8 de setembro de 2011, que veio a ser consolidada por meio do Instrumento de Avaliação Externa de Escola de Governo contido no Parecer CNE/CES 295/2013, homologado pelo Ministro da Educação em 07 de maio de 2014.

Desde o ano de 2003, a ENSP já participava das articulações gerais das escolas de governo federais e da Rede Nacional de Escolas de Governo, incentivadas pela Escola Nacional de Administração Pública – ENAP. A partir de 2011, sob coordenação da ENAP, ganhou vitalidade o Sistema de Escolas de Governo da União – SEGU, cuja articulação fora proposta no Decreto nº 5707/2006, que instituiu a Política Nacional de Desenvolvimento de Pessoal. Com o novo contexto configurado ao final do primeiro semestre de 2014 relacionado ao credenciamento das escolas de governo para a oferta de pós-graduação lato sensu, a Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz – VPEIC passou também a participar do SEGU, uma vez que outras unidades da Fiocruz também estavam engajadas na oferta de cursos de pós-graduação lato sensu, também necessitando de regularização do credenciamento dos cursos ofertados.

Assim, além da atuação nos debates e elaboração de proposições das Escolas de Governo da União para o novo marco regulatório dos cursos de pós-graduação especialização lato sensu, em fase de elaboração pelo Conselho Nacional de Educação, a Fiocruz obteve do Ministro da Educação o entendimento sobre o credenciamento institucional único da Fiocruz para a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu, naturalmente cabendo à VPEIC a coordenação e articulação das unidades internas engajadas nessas ofertas.

 

Detalhes

Ensino

Ensino internacional

Cooperação e solidariedade entre os povos pautam as atividades da Fiocruz na área internacional. A instituição atua em parceria com agentes estrangeiros, com o objetivo de promover o desenvolvimento da educação, da ciência e o reconhecimento da saúde como direito fundamental.

Há duas dimensões da internacionalização acadêmica:

  • a cooperação Norte-Sul, em associação com instituições da Europa e dos Estados Unidos e
  • a cooperação Sul-Sul, em acordos com países em desenvolvimento, predominantemente do Hemisfério Sul.

No âmbito interno, a internacionalização acadêmica conjuga ações diretas da Presidência.

O Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris) é o órgão que assessora a Presidência, atuando na representação institucional e na normatização das atividades internacionais. Cabe ao Cris coordenar e apoiar as diversas unidades da Fundação nos procedimentos voltados à cooperação em saúde, ciência e tecnologia.

Já a Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação (VPEIC) é encarregada de coordenar as atividades de ensino. Sua Coordenação Geral de Pós-Graduação (instância equivalente à Pró-Reitoria universitária) responde pela pós-graduação da Fiocruz junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

A orientação para alunos estrangeiros da Fiocruz está no Guia do Estudante 2016, publicado pela Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação (VPEIC). Você pode também acessar a informação sobre ingresso na Fiocruz em Alunos Estrangeiros nesse portal

Contato: ensinointernacional@Fiocruz.br.

 

Detalhes

Ensino

Alunos estrangeiros

Ingresso na Fiocruz

Alunos estrangeiros podem ingressar na Fiocruz tanto em cursos regulares oferecidos pelas diferentes unidades da Fiocruz — por meio de seleção em editais gerais ou específicos para estrangeiros divulgados pelos programas de pós-graduação — ou atendendo a oferta de cursos no exterior, realizados em associação com instituições dos países parceiros. Na frequência dos cursos regulares, podem ser aceitos estudantes selecionados em editais próprios ou selecionados em editais internacionais como o Programa de Estudantes-Convênio de Pós-graduação (PEC-PG), assinado pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil com países da África, América Latina e Caribe e Ásia.

Os estudantes também podem ingressar nos cursos por meio de editais lançados pelas principais agências de fomento brasileiras, como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em convênios para realização de cotutela, ou ainda por meio de seleção em convênios com agências de fomento internacionais como no caso do The World Academy of Sciences (TWAS/CNPq).

Nos cursos oferecidos no exterior, o ingresso ocorre no âmbito das cooperações entre países, como por exemplo na Cooperação Brasil-Moçambique e Brasil- Argentina.

Informações sobre visto

O Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fiocruz (Cris) apoia pesquisadores, professores, técnicos e alunos estrangeiros para que possam atuar na Fiocruz, orientando-os sobre como obter o visto junto às embaixadas do Brasil em seus países, e auxiliando-os nos procedimentos administrativos da instituição brasileira.

A emissão de visto é solicitada pelo Cris a partir de carta de aceite ou convite elaborados pelas unidades técnicas da Fiocruz que receberão o estrangeiro, com base nos requisitos das Resoluções Normativas do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE).

O regime de vistos para a entrada de estrangeiros no país está publicado no Portal Consular, site do Ministério das Relações Exteriores. Para encontrar outras informações, acesse a Resolução Normativa nº 116.

O Brasil mantém a política de reciprocidade, concedendo aos estrangeiros o mesmo tratamento que os brasileiros receberiam em seu país. Para mais informações sobre os procedimentos administrativos, entre em contato com a representação brasileira da nação de origem. A lista dos setores consulares das representações brasileiras está disponível no mesmo portal.

E-mail: cris@fiocruz.br ou lilianeba@fiocruz.br

Telefone: +55 21 3885-1653

Programas e apoios

As principais agências de fomento brasileiras que oferecem bolsas para estudantes estrangeiros são a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Programa de Estudantes - Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG)

Parceria entre a Capes, o CNPq e o Ministério das Relações Exteriores (MRE) por meio da Divisão de Temas Educacionais (DCE).

Informações: Divisão de Temas Educacionais, no site do MRE.

Entrada e permanência no Brasil

Para obter informações sobre a entrada e permanência no Brasil, acesse o site do Ministério da Justiça e Cidadania: http://www.justica.gov.br/central-de-atendimento/estrangeiros/entrada

Caso precise prorrogar o visto de estudante estrangeiro, informe-se na Polícia Federal em: http://www.pf.gov.br/servicos-pf/estrangeiro/novos-procedimentos-nos-processos-de-prorrogacao-de-estudante

Documentos

Chegando ao Brasil, o estudante estrangeiro deve obter os documentos obrigatórios para legalizar sua estadia no país e para receber bolsa de estudos concedida por agência financiadora brasileira.

Inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF)

A inscrição no CPF deve ser feita na Receita Federal pelo próprio interessado ou seu representante legal. O requerimento de CPF também pode ser feito nos Correios, na Caixa Econômica Federal ou no Banco do Brasil. O requerente deve apresentar o passaporte, um comprovante com seu endereço e pagar a taxa de emissão. Depois, é necessário validar o pedido na Receita Federal, que enviará um comprovante com o número de CPF.

Registro Nacional de Estrangeiros (RNE) na Polícia Federal

Assim que o estudante ingressa no Brasil com visto para estudantes (visto temporário tipo IV), é obrigatório que se apresente na Polícia Federal para a realização dos processos de registro, num prazo de 30 dias a partir da data de chegada. O documento de permanência temporária de estrangeiros no Brasil chama-se Registro Nacional de Estrangeiros (RNE). Somente com este número o estudante poderá abrir conta em banco ou participar de qualquer outra atividade que necessite de confirmação da sua permanência prolongada no Brasil. Informações para obtenção da carteira com o RNE estão disponíveis no site da Polícia Federal em http:/www.dpf.gov.br/servicos/estrangeiro/

Legalização de documentos

O Brasil tornou-se signatário da convenção de Haia. Saiba mais: http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/83079-entra-em-vigor-no-brasil-a-convencao-da-apostila-da-haia e http://www.cnj.jus.br/poder-judiciario/relacoes-internacionais/convencao-da-apostila-da-haia

Abertura de conta bancária

O estudante é livre para escolher o banco e agência de sua preferência, salvo nos casos de exigência contrária feita pela agência de fomento para recebimento de bolsa de estudos.

Consulte diretamente a agência do banco para obter a lista de documentos necessários e os procedimentos para abertura de conta de estrangeiros.

O Banco do Brasil (BB) possui uma agência no Campus Manguinhos. Caso queira abrir uma conta, consulte os telefones para contato na Central de Atendimento do BB.

Convênios vigentes - http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/convenios-internacionais

Isenção de taxas

De acordo com o Decreto Nº 6.771, de 16/2/2009, os cidadãos dos países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) estão isentos do pagamento de taxas e emolumentos (taxas remuneratórias de serviços públicos, tanto notariais, quanto de registro) devidos na emissão e renovação de autorizações de residência, com exceção dos custos de emissão de documentos.

Isso significa que não há necessidade do pagamento de taxa de pedidos de prorrogação de prazo de vistos temporários, taxa de permanência ou registro de estrangeiro, sendo devido somente o pagamento de taxa de emissão de carteira de estrangeiro, quando aplicável.

A CPLP é uma organização internacional formada por: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Saúde, seguros e vacinação

Sistema Único de Saúde (SUS)

Todos têm direito a utilizar o Sistema Único de Saúde brasileiro (SUS). Cadastre-se na unidade de atendimento próxima a sua residência.

Seguro de saúde

Se você já possui um seguro saúde em seu país, informe-se junto à empresa sobre a possibilidade de estender seus benefícios e usufruir da cobertura no país de destino. Exija o contrato da empresa, lendo-o com atenção. Observe as coberturas necessárias para viajar, preços, condições e prazos do contrato. E lembre-se de levar sempre com você toda a documentação necessária para acionar o seguro em caso de emergência.

Atendimento de Saúde no Campus sede da Fiocruz (Manguinhos – RJ)

Núcleo de Saúde do Trabalhador da Fiocruz (Nust)

Para ser atendido no Nust ou pelo Centro de Saúde do Trabalhador (CST) da unidade, basta ser vinculado à Fiocruz (bolsista, estagiário, estudante, colaborador ou funcionário). Para comprovar o vínculo, apresente sua identificação (crachá, contracheque ou encaminhamento do setor).

O Nust oferece aos estudantes os seguintes serviços:

1.Pronto atendimento médico em casos de emergências/urgências para:

a) Emergências/urgências nível 3 - casos em que há necessidade de avaliação médica, mas não há risco de vida ou de perda de funções, não requerendo intervenção imediata.

b) Emergências/urgências de nível 4 – situações em que o médico pode aconselhar por telefone, orientar sobre o uso de medicamentos, cuidados gerais e outros encaminhamentos. Para casos com risco imediato e/ou risco de perda funcional grave (imediato ou secundário), a Fiocruz dispõe de convênio para remoção para unidades hospitalares por UTI móvel.

2.Atendimento interdisciplinar em casos de acidentes.

- Distribuição de preservativos, mediante cadastro.

- Imunização – ações de rotina, para grupos específicos e campanhas

Nust/Fiocruz

Pavilhão Carlos Augusto da Silva (ao lado da Asfoc).

Aendimento: de segunda a sexta, das 8h às 17h.

Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Cesteh/Ensp)

O ambulatório do Cesteh/Ensp, localizado no prédio Primeiro de Maio, também pode ser utilizado pelos alunos em situações específicas listadas abaixo:

- Doenças respiratórias ou dermatológicas relacionadas a questões ambientais ou ocupacionais

- Exame preventivo do câncer cervicouterino

- Perda auditiva relacionada ao trabalho

- Situações de assédio moral relacionadas ao trabalho ou às atividades didáticas.

Cesteh/Ensp

Serviço de Documentação: 2598-2830

Coordenação de Serviços: 2598-2728.

Alojamento

Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP/Fiocruz)

Alunos estrangeiros e de fora do estado do Rio de Janeiro podem se alojar durante um período limitado no Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/Ensp/Fiocruz). O alojamento é gratuito e situa-se em Jacarepaguá, na zona oeste do município do Rio de Janeiro.

Instalações

São 22 apartamentos

-Cada acomodação é compartilhada por quatro pessoas

-Cada apartamento tem dois quartos

-Cada quarto tem duas camas de solteiro, ventilador de teto, ar condicionado, cozinha com forno micro-ondas e refrigerador (modelo frigobar), banheiro com chuveiro elétrico, sala com televisão, mesa com duas cadeiras e sofá de dois lugares.

-Há aparelho telefônico com linha liberada para ligações internas, ligações a cobrar e recebimento de ligações de qualquer distância.

-Na área externa, o alojamento oferece espaços gramados para lazer, estacionamento.

-Na área externa, há também um amplo e refeitório, onde funciona um restaurante, de segunda a sexta-feira. Os hóspedes interessados podem comprar e pagar as refeições diretamente com o responsável pelo estabelecimento.

A solicitação de vaga para estudantes deve ser enviada formalmente para a chefia de departamento do CRPHF/Ensp pela Coordenação Geral de Pós-graduação. O pedido deve ser feito cerca de 30 dias antes do período pretendido.

É necessário informar: nome completo do interessado pela hospedagem e também o nome, o setor, cargo ou função e dados para contato do responsável pela solicitação na Fiocruz. A carta de solicitação poderá ser assinada pela Vice-direção de ensino, pelo coordenador do programa, pelo coordenador do curso ou pelo orientador.

As solicitações serão avaliadas, respeitando a disponibilidade das vagas e a distribuição dos alunos por sexo (apartamentos ocupados somente por homens ou somente por mulheres).

Para mais informações, envie um e-mail para: ensino.internacional@fiocruz.br.

Espaço Carlos Chagas/Casa Amarela Campus Manguinhos

Além do alojamento do Centro de Referência Professor Hélio Fraga, é possível se hospedar temporariamente no Espaço Carlos Chagas (Casa Amarela), que recebe pesquisadores de passagem pela Fiocruz. Neste caso, há um custo associado à hospedagem.

A Casa Amarela é um ambiente de uso coletivo. Cada quarto tem quatro camas.

Reservas na Casa Amarela

Acesse o link http://www.sch.fiocruz.br/reserva/ e preencha o formulário de solicitação de hospedagem. Para fazer a solicitação online, é preciso se cadastrares de fazer a primeira solicitação.

Envie um e-mail para: casaamarela@ fiocruz.br

É necessário informar:

Nome completo; Período desejado (com previsão de horário de chegada e saída para cálculo das diárias a pagar); Motivo/justificativa da solicitação de hospedagem e Contatos e instituição

Contatos e redes sociais

Associação de Pós-Graduandos da Fiocruz/RJ (APG-Fiocruz/RJ)

Fundada em 2012, tem como principal objetivo representar todos os estudantes de programas Lato sensu e Stricto sensu, coletiva e individualmente.

Conheça o site da APG e sua página no Facebook

Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris)

E-mails: lilianeba@fiocruz.br/cris@fiocruz.br

Telefone: +55 21 3885-1653

Site: http://portal.fiocruz.br/pt-br/cris

Ensino Internacional

Telefone: +55 21 3885-1653

E-mail: ensino.internacional@fiocruz.br

Facebook Fiocruz

Página oficial de relacionamento com o público da Fundação Oswaldo Cruz. São compartilhadas informações sobre as atividades da instituição, seus programas, projetos, ações e sua agenda. A página é um canal aberto para atender a população em geral.

Acesse: https://www.facebook.com/oficialfiocruz/

Ingresso na Fiocruz

Alunos estrangeiros podem ingressar na Fiocruz tanto em cursos regulares oferecidos pelas diferentes unidades da Fiocruz — por meio de seleção em editais gerais ou específicos para estrangeiros divulgados pelos programas de pós-graduação — ou atendendo a oferta de cursos no exterior, realizados em associação com instituições dos países parceiros. Na frequência dos cursos regulares, podem ser aceitos estudantes selecionados em editais próprios ou selecionados em editais internacionais como o Programa de Estudantes-Convênio de Pós-graduação (PEC-PG), assinado pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil com países da África, América Latina e Caribe e Ásia.

Os estudantes também podem ingressar nos cursos por meio de editais lançados pelas principais agências de fomento brasileiras, como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em convênios para realização de cotutela, ou ainda por meio de seleção em convênios com agências de fomento internacionais como no caso do The World Academy of Sciences (TWAS/CNPq).

Nos cursos oferecidos no exterior, o ingresso ocorre no âmbito das cooperações entre países, como por exemplo na Cooperação Brasil-Moçambique e Brasil- Argentina.

Informações sobre visto

O Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fiocruz (Cris) apoia pesquisadores, professores, técnicos e alunos estrangeiros para que possam atuar na Fiocruz, orientando-os sobre como obter o visto junto às embaixadas do Brasil em seus países, e auxiliando-os nos procedimentos administrativos da instituição brasileira.

A emissão de visto é solicitada pelo Cris a partir de carta de aceite ou convite elaborados pelas unidades técnicas da Fiocruz que receberão o estrangeiro, com base nos requisitos das Resoluções Normativas do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE).

O regime de vistos para a entrada de estrangeiros no país está publicado no Portal Consular, site do Ministério das Relações Exteriores. Para encontrar outras informações, acesse a Resolução Normativa nº 116.

O Brasil mantém a política de reciprocidade, concedendo aos estrangeiros o mesmo tratamento que os brasileiros receberiam em seu país. Para mais informações sobre os procedimentos administrativos, entre em contato com a representação brasileira da nação de origem. A lista dos setores consulares das representações brasileiras está disponível no mesmo portal.

E-mail: cris@fiocruz.br ou lilianeba@fiocruz.br

Telefone: +55 21 3885-1653

Programas e apoios

As principais agências de fomento brasileiras que oferecem bolsas para estudantes estrangeiros são a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Programa de Estudantes - Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG)

Parceria entre a Capes, o CNPq e o Ministério das Relações Exteriores (MRE) por meio da Divisão de Temas Educacionais (DCE).

Informações: Divisão de Temas Educacionais, no site do MRE.

Entrada e permanência no Brasil

Para obter informações sobre a entrada e permanência no Brasil, acesse o site do Ministério da Justiça e Cidadania: http://www.justica.gov.br/central-de-atendimento/estrangeiros/entrada

Caso precise prorrogar o visto de estudante estrangeiro, informe-se na Polícia Federal em: http://www.pf.gov.br/servicos-pf/estrangeiro/novos-procedimentos-nos-processos-de-prorrogacao-de-estudante

Documentos

Chegando ao Brasil, o estudante estrangeiro deve obter os documentos obrigatórios para legalizar sua estadia no país e para receber bolsa de estudos concedida por agência financiadora brasileira.

Inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF)

A inscrição no CPF deve ser feita na Receita Federal pelo próprio interessado ou seu representante legal. O requerimento de CPF também pode ser feito nos Correios, na Caixa Econômica Federal ou no Banco do Brasil. O requerente deve apresentar o passaporte, um comprovante com seu endereço e pagar a taxa de emissão. Depois, é necessário validar o pedido na Receita Federal, que enviará um comprovante com o número de CPF.

Registro Nacional de Estrangeiros (RNE) na Polícia Federal

Assim que o estudante ingressa no Brasil com visto para estudantes (visto temporário tipo IV), é obrigatório que se apresente na Polícia Federal para a realização dos processos de registro, num prazo de 30 dias a partir da data de chegada. O documento de permanência temporária de estrangeiros no Brasil chama-se Registro Nacional de Estrangeiros (RNE). Somente com este número o estudante poderá abrir conta em banco ou participar de qualquer outra atividade que necessite de confirmação da sua permanência prolongada no Brasil. Informações para obtenção da carteira com o RNE estão disponíveis no site da Polícia Federal em http:/www.dpf.gov.br/servicos/estrangeiro/

Legalização de documentos

O Brasil tornou-se signatário da convenção de Haia. Saiba mais: http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/83079-entra-em-vigor-no-brasil-a-convencao-da-apostila-da-haia e http://www.cnj.jus.br/poder-judiciario/relacoes-internacionais/convencao-da-apostila-da-haia

Abertura de conta bancária

O estudante é livre para escolher o banco e agência de sua preferência, salvo nos casos de exigência contrária feita pela agência de fomento para recebimento de bolsa de estudos.

Consulte diretamente a agência do banco para obter a lista de documentos necessários e os procedimentos para abertura de conta de estrangeiros.

O Banco do Brasil (BB) possui uma agência no Campus Manguinhos. Caso queira abrir uma conta, consulte os telefones para contato na Central de Atendimento do BB.

Convênios vigentes - http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/convenios-internacionais

Isenção de taxas

De acordo com o Decreto Nº 6.771, de 16/2/2009, os cidadãos dos países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) estão isentos do pagamento de taxas e emolumentos (taxas remuneratórias de serviços públicos, tanto notariais, quanto de registro) devidos na emissão e renovação de autorizações de residência, com exceção dos custos de emissão de documentos.

Isso significa que não há necessidade do pagamento de taxa de pedidos de prorrogação de prazo de vistos temporários, taxa de permanência ou registro de estrangeiro, sendo devido somente o pagamento de taxa de emissão de carteira de estrangeiro, quando aplicável.

A CPLP é uma organização internacional formada por: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Saúde, seguros e vacinação

Sistema Único de Saúde (SUS)

Todos têm direito a utilizar o Sistema Único de Saúde brasileiro (SUS). Cadastre-se na unidade de atendimento próxima a sua residência.

Seguro de saúde

Se você já possui um seguro saúde em seu país, informe-se junto à empresa sobre a possibilidade de estender seus benefícios e usufruir da cobertura no país de destino. Exija o contrato da empresa, lendo-o com atenção. Observe as coberturas necessárias para viajar, preços, condições e prazos do contrato. E lembre-se de levar sempre com você toda a documentação necessária para acionar o seguro em caso de emergência.

Atendimento de Saúde no Campus sede da Fiocruz (Manguinhos – RJ)

Núcleo de Saúde do Trabalhador da Fiocruz (Nust)

Para ser atendido no Nust ou pelo Centro de Saúde do Trabalhador (CST) da unidade, basta ser vinculado à Fiocruz (bolsista, estagiário, estudante, colaborador ou funcionário). Para comprovar o vínculo, apresente sua identificação (crachá, contracheque ou encaminhamento do setor).

O Nust oferece aos estudantes os seguintes serviços:

1.Pronto atendimento médico em casos de emergências/urgências para:

a) Emergências/urgências nível 3 - casos em que há necessidade de avaliação médica, mas não há risco de vida ou de perda de funções, não requerendo intervenção imediata.

b) Emergências/urgências de nível 4 – situações em que o médico pode aconselhar por telefone, orientar sobre o uso de medicamentos, cuidados gerais e outros encaminhamentos. Para casos com risco imediato e/ou risco de perda funcional grave (imediato ou secundário), a Fiocruz dispõe de convênio para remoção para unidades hospitalares por UTI móvel.

2.Atendimento interdisciplinar em casos de acidentes.

- Distribuição de preservativos, mediante cadastro.

- Imunização – ações de rotina, para grupos específicos e campanhas

Nust/Fiocruz

Pavilhão Carlos Augusto da Silva (ao lado da Asfoc).

Aendimento: de segunda a sexta, das 8h às 17h.

Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Cesteh/Ensp)

O ambulatório do Cesteh/Ensp, localizado no prédio Primeiro de Maio, também pode ser utilizado pelos alunos em situações específicas listadas abaixo:

- Doenças respiratórias ou dermatológicas relacionadas a questões ambientais ou ocupacionais

- Exame preventivo do câncer cervicouterino

- Perda auditiva relacionada ao trabalho

- Situações de assédio moral relacionadas ao trabalho ou às atividades didáticas.

Cesteh/Ensp

Serviço de Documentação: 2598-2830

Coordenação de Serviços: 2598-2728.

Alojamento

Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP/Fiocruz)

Alunos estrangeiros e de fora do estado do Rio de Janeiro podem se alojar durante um período limitado no Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/Ensp/Fiocruz). O alojamento é gratuito e situa-se em Jacarepaguá, na zona oeste do município do Rio de Janeiro.

Instalações

São 22 apartamentos

-Cada acomodação é compartilhada por quatro pessoas

-Cada apartamento tem dois quartos

-Cada quarto tem duas camas de solteiro, ventilador de teto, ar condicionado, cozinha com forno micro-ondas e refrigerador (modelo frigobar), banheiro com chuveiro elétrico, sala com televisão, mesa com duas cadeiras e sofá de dois lugares.

-Há aparelho telefônico com linha liberada para ligações internas, ligações a cobrar e recebimento de ligações de qualquer distância.

-Na área externa, o alojamento oferece espaços gramados para lazer, estacionamento.

-Na área externa, há também um amplo e refeitório, onde funciona um restaurante, de segunda a sexta-feira. Os hóspedes interessados podem comprar e pagar as refeições diretamente com o responsável pelo estabelecimento.

A solicitação de vaga para estudantes deve ser enviada formalmente para a chefia de departamento do CRPHF/Ensp pela Coordenação Geral de Pós-graduação. O pedido deve ser feito cerca de 30 dias antes do período pretendido.

É necessário informar: nome completo do interessado pela hospedagem e também o nome, o setor, cargo ou função e dados para contato do responsável pela solicitação na Fiocruz. A carta de solicitação poderá ser assinada pela Vice-direção de ensino, pelo coordenador do programa, pelo coordenador do curso ou pelo orientador.

As solicitações serão avaliadas, respeitando a disponibilidade das vagas e a distribuição dos alunos por sexo (apartamentos ocupados somente por homens ou somente por mulheres).

Para mais informações, envie um e-mail para: ensino.internacional@fiocruz.br.

Espaço Carlos Chagas/Casa Amarela Campus Manguinhos

Além do alojamento do Centro de Referência Professor Hélio Fraga, é possível se hospedar temporariamente no Espaço Carlos Chagas (Casa Amarela), que recebe pesquisadores de passagem pela Fiocruz. Neste caso, há um custo associado à hospedagem.

A Casa Amarela é um ambiente de uso coletivo. Cada quarto tem quatro camas.

Reservas na Casa Amarela

Acesse o link http://www.sch.fiocruz.br/reserva/ e preencha o formulário de solicitação de hospedagem. Para fazer a solicitação online, é preciso se cadastrares de fazer a primeira solicitação.

Envie um e-mail para: casaamarela@ fiocruz.br

É necessário informar:

Nome completo; Período desejado (com previsão de horário de chegada e saída para cálculo das diárias a pagar); Motivo/justificativa da solicitação de hospedagem e Contatos e instituição

Contatos e redes sociais

Associação de Pós-Graduandos da Fiocruz/RJ (APG-Fiocruz/RJ)

Fundada em 2012, tem como principal objetivo representar todos os estudantes de programas Lato sensu e Stricto sensu, coletiva e individualmente.

Conheça o site da APG e sua página no Facebook

Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris)

E-mails: lilianeba@fiocruz.br/cris@fiocruz.br

Telefone: +55 21 3885-1653

Site: http://portal.fiocruz.br/pt-br/cris

Ensino Internacional

Telefone: +55 21 3885-1653

E-mail: ensino.internacional@fiocruz.br

Facebook Fiocruz

Página oficial de relacionamento com o público da Fundação Oswaldo Cruz. São compartilhadas informações sobre as atividades da instituição, seus programas, projetos, ações e sua agenda. A página é um canal aberto para atender a população em geral.

Acesse: https://www.facebook.com/oficialfiocruz/

 

Detalhes

Guia-do-estudante-ES-2016.pdf Student-guide-2016.pdf
Ensino

Pós-doutorado

A Fiocruz oferece vagas para pesquisadores para estágios pós-doutorais através de suas Unidades, em diferentes linhas de pesquisa, vinculadas aos Programas de Pós-Grauduação stricto sensu. Mais informações pelos telefones constantes no SIGA (www.sigass.fiocruz.br).  

Detalhes

Ensino

Sistema de Gestão Acadêmica (Siga)

A PLATAFORMA SIGA é formada pelo conjunto de sistemas, informações e arquitetura, configurados, visando informatizar os processos associados à gestão de cursos de pós-graduação  e nível técnico da FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ, segundo levantamento e normatização realizados nas suas unidades.

A Plataforma SIGA é composta por três conjuntos de sistemas, que atendem aos níveis Stricto Sensu (SIGASS), Lato Sensu (SIGALS) e educação profissional em saúde (SIGAEPS) nas várias unidades da Fiocruz. O SIGA visa gerenciar as informações e processos relacionados aos diversos atores envolvidos na condução de cursos desses niveis. A plataforma fornece instrumentos para planejamento, controle, tomada de decisão, avaliação e pesquisa, segundo os interesses específicos de cada ator envolvido com estes níveis.

A Plataforma SIGA é utilizada para inscrições nos diferentes programas e cursos, acesso aos editais, matrícula de alunos e processos acadêmicos. 

 

.

Detalhes

Ensino

Telessaúde

Com Laboratório de Telessaúde, IFF/Fiocruz amplia atenção a mulheres, crianças e adolescentes

Para levar mais saúde para mulheres, crianças e adolescentes, desde 2012, a Fiocruz conta com o Laboratório de Telessaúde do Instituto Fernandes Figueira (Labtel). Utilizando tecnologias de informação e comunicação em saúde, o Labtel promove ações integradas nas áreas de ensino, pesquisa, assistência e atenção integral à saúde. Além disso, atua em cooperações técnicas nacionais e internacionais, no desenvolvimento e na avaliação de tecnologias e no apoio à formulação e execução de políticas públicas nacionais.

A coordenadora do Laboratório de Telessaúde do IFF, Angélica Baptista, explica que a telessaúde engloba os sistemas de internet ou de e-saúde e aplicações baseadas em vídeo. “O que nós fazemos, na prática, é utilizar a tecnologia para compartilhar conhecimentos e informações, além de monitorar atividades de perto. Assim, conseguimos superar distâncias e barreiras de tempo, sociais e culturais”.

Entre os principais benefícios da telessaúde, Angélica destaca a integração das ferramentas de telessaúde com o sistema de registro eletrônico de saúde (RES), que permite consolidar o histórico de dados clínicos dos pacientes. Além disso, o uso de tecnologias de informação contribui não só na formação e qualificação de profissionais de saúde, mas gera maior colaboração entre eles e também com os pesquisadores. E ainda: os projetos do hospital junto a seus públicos e parceiros podem ser acompanhados à distância.

O Labtel também realiza atividades de pesquisa, desenvolvendo e experimentando novas tecnologias de informação em saúde. Coopera também com o Telessaúde Brasil Redes e a Rede Universitária de Telemedicina (Rute) e outros estabelecimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) nas áreas de expertise do IFF/Fiocruz.

As ações de telessaúde são amplificadas pela transmissão no Canal Saúde, que reserva espaço para uma programação especial em sua grade para TV e web na área de telessaúde, permitindo também a interação do público.

Detalhes

Ensino

Linha do Tempo

Detalhes