Semi Presencial

Home Semi Presencial
Voltar

Medicamento: do desenvolvimento ao registro - Escola de Inverno/2022

Aguarde Novas Inscrições

Sobre o curso

Este curso visa contextualizar as diferentes etapas relacionadas ao desenvolvimento tecnológico de medicamentos, agregando ao conhecimento técnico o que há de mais atual em termos de harmonização entre regulação nacional e guias internacionais. Serão apresentados os conceitos de desenvolvimento tecnológico com foco na qualidade pela concepção do produto, introduzindo aos alunos os conceitos Quality by Design (QbD) utilizados no desenvolvimento de produtos farmacêuticos e métodos analíticos. Ao final do curso, serão oferecidas visitas guiadas às estruturas de desenvolvimento tecnológico e área produtiva de uma indústria farmacêutica para a fabricação de medicamentos sólidos orais, enriquecendo a experiência e favorecendo a consolidação do conhecimento adquirido.

IX International Course on Molecular Methodologies for Epidemiology and Diagnosis of Invasive Fungal Infections - 2021 IX International Course

Aguarde Novas Inscrições

Sobre o curso

O curso 2021 "Molecular Methodologies for Epidemiology and Diagnosis of Invasive Fungal Infections (IFI)" apresentará uma Revisão histórica e desenvolvimento dos conhecimentos em diagnóstico laboratorial das micoses sistêmicas e oportunistas invasivas: Metodologias convencionais e novas abordagens para identificação rápida das IFI e seus agentes. Técnicas convencionais e moleculares para identificação e classificação (taxonomia) de agentes de IFI. Fatores de virulência dos agentes de IFI. Métodos moleculares de diagnóstico e epidemiologia molecular das IFI e genotipagem dos seus agentes.

I Mostra da Escola de Governo Fiocruz Brasília - 1º Oferta

Aguarde Novas Inscrições

Sobre o curso

Com a temática “Nossa história e o inédito viável”, a Mostra da Escola de Governo Fiocruz (EGF) Brasília irá comemorar os 10 anos de existência da EGF e centenário de Paulo Freire, que nos inspira para o inédito viável em tempos de pandemia. Prevista para acontecer em março de 2022, como parte da semana pedagógica e acolhimento estudantil. Esta comemoração, em tempos tão complexos e difíceis, vem no sentido da origem latina de comemorar, que vem de com-memorare, isto é, recordar “com”, recordar “junto com o outro”. De modo a trazer energia para nutrir nosso processo contínuo e tornar projeto sustentável, de reconhecer como cada um(a) que contribuiu no nosso caminho, reconhecer os aprendizados da jornada, ressignificar nossos projetos, trazer nossos sonhos de um mundo melhor de forma coletiva na comunidade escola. A mostra está prevista para acontecer de forma híbrida, como está previsto no plano de Convivência com a Covid-19 na Fiocruz, publicado pela Coordenação das Ações da Fiocruz no Enfrentamento da Pandemia.

Curso de Formação de Agentes Populares de Saúde no Enfrentamento ao COVID-19 - 1º Oferta

Aguarde Novas Inscrições

Sobre o curso

O Brasil enfrenta a maior crise sanitária da sua recente história democrática, que vem atingindo populações dos mais diversos territórios em todas as dimensões da vida: econômicas, ambientais, sociais e humanas, causando impactos na saúde, principalmente, nas populações mais vulneráveis. O crítico cenário atual demanda uma ação institucional e da sociedade civil, alinhadas com a defesa da vida e com os valores humanitários que regem nossa democracia. Neste contexto, a Fiocruz Brasília cumprindo com seu papel institucional e responsabilidade social a garantia do direito à saúde e com a efetivação do Sistema Único de Saúde (SUS), vem buscando contribuir com o processo de enfrentamento da pandemia, apostando na mobilização e articulação de saberes, práticas, espaços e segmentos sociais, por meio da implementação da Plataforma de Inteligência Cooperativa com Atenção Primária à Saúde (PICAPS) e do Radar de Territórios Covid-19 no Distrito Federal. Uma das dimensões da PICAPS, que se configura em uma ação colegiada entre Fiocruz BSB, Universidade de Brasília (UnB), Secretaria de Estado da Saúde (SES-DF) e Conselho de Saúde do Distrito Federal (CSDF), tem sido a promoção da Vigilância Popular em Saúde. O Curso de Formação de Agentes Populares de Saúde é a segunda etapa do processo de mobilização, articulação e formação para implementação da Vigilância Popular em Saúde no enfrentamento da COVID 19. É desenvolvido pela Fiocruz Brasília em parceria com um conjunto de movimentos sociais populares, redes sócio técnicas, conselhos de saúde e coletivos, em especial a Campanha Nós por Nós (NPN) contra o Coronavírus, desenvolvida no Distrito Federal como um braço da Campanha Nacional Periferia Viva. É uma iniciativa cunhada no contexto de ações de educação popular idealizadas pela Campanha Periferia Viva, a qual no DF, faz parte da Campanha de Solidariedade Nós por Nós (NPN) contra o Coronavírus, em vista de ampliar a capacidade de resposta à atual pandemia, que vem se alastrando de forma acelerada, em especial, em contextos de aglomerados urbanos com pouca infraestrutura. As seguintes entidades e organizações vêm construindo esta estratégia de solidariedade: Levante Popular da Juventude, Consulta Popular, Família Hip Hop, Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos - MTD, Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores Sem Terra - MST, Rede de Médicas e Médicos Populares, Evangélicos por Justiça - EPJ, Movimento Popular de Moradia do DF - Amora e DCE-UnB, Movimento dos Trabalhadores Trabalhadores Rurais, Gt de EPS da ABRASCO, Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn). A formação de Agentes Populares de Saúde já vem sendo desenvolvida em outros Estados do Brasil e parte da necessidade de disseminar conhecimentos sobre o novo coronavírus, formas de prevenção e cuidados, assim como sobre os direitos fundamentais para que haja possibilidade de manter um distanciamento social no contexto da COVID-19. A gestão do curso, que envolve coordenação pedagógica, infraestrutura, logística, comunicação e mobilização, será feita pelas entidades que articulam a Campanha NPN, em parceria com a Direção de Brasília da Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz e a Universidade de Brasília – UnB. A formação será conduzida por profissionais de

TÓPICOS DE HOMEOPATIA NO SUS - 1º Oferta

Aguarde Novas Inscrições

Sobre o curso

No Brasil, a Homeopatia é reconhecida como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina desde 1980(11), assim como a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a inserção das medicinas tradicionais nos países membros e está presente no sistema público desde a década de 80, contando com inúmeras manifestações de apoio do controle social, tais como moções em conferências de saúde e assembleias de associações de profissionais de saúde, visando o acesso universal a esta prática, como um direito de escolha do usuário. Entretanto, apenas em 2006, o Ministério da Saúde publicou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) que implementou a Homeopatia no Sistema Único de Saúde (SUS). Dentre as diretrizes está o apoio a educação permanente, a realização de pesquisas e ações assistenciais prioritariamente na atenção básica, de forma segura e acessível aos usuários do SUS. Neste sentido, este curso pretende aplicar elementos de base teórico-práticos que contribuam para o desenvolvimento de um olhar clinico integral, humanizado, agregando uma ferramenta capaz de auxiliar tanto na promoção à saúde como e de aprofundar o diálogo e apoiar as iniciativas sobre a implementação da Homeopatia no Sistema Único de Saúde.

Tópicos de comunicação, tecnologia da informação, direitos humanos e saúde digital - 1º Oferta

Aguarde Novas Inscrições

Sobre o curso

O curso visa discutir a saúde digital na sociedade em rede, enfocando a questão do acesso aos dados de saúde do paciente e como a informação sobre os corpos humanos circula com base nos estudos de ciência, tecnologia e sociedade.

Formação docente: fundamentos, saberes e prática - 1ª Oferta

Aguarde Novas Inscrições

Sobre o curso

A Rede Nordeste em Saúde da Família (RENASF), (Fiocruz, UFMA, UFPI, UFC, UECE, UVA, URCA, UFRN e UFPB) instituições públicas de ensino superior, presentes em cinco estados nordestinos – Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba, compreende a formação pedagógica como importante, sendo necessário ser mais permanente, e não somente de preparação, conforme preconiza a LDB (1996), embora, no decurso da sua existência, o programa venha fomentando estudos, discussões e debates, por meio de oficinas que permitam situar na pauta o sentido e o significado do ensino na saúde, em especial, na e para a SAÚDE DA FAMÍLIA. É neste momento, ao assumir o compromisso com a implantação do doutorado, que a escuta qualificou as falas dos alunos expressas nas avaliações dos módulos do mestrado. A experiência das três turmas tornou-se fundamental para subsidiar a elaboração desse curso, parte estruturante do programa de formação permanente dos professores, em exercício nesta rede formativa. É um programa de formação, que mesmo reconhecendo os diversos processos específicos de formação docente, já em curso nas instituições componentes da Rede Nordeste em Saúde da Família (RENASF), também reconhece a complexidade desta rede, que tem como finalidade formar e qualificar os profissionais do serviço de saúde, incentivando o uso de métodos de pesquisa para a tomada de decisões e a gestão do processo de trabalho e do cuidado, na atenção primária no Mestrado; e, no Doutorado, formar pesquisadores, com a necessária competência técnico-científica, crítica e reflexiva para atuar na pesquisa, docência e gestão no âmbito da Atenção Primária em Saúde. Neste sentido, considera importante ser vista a especificidade da formação dos docentes que estão no exercício nesta rede, para debater concepções conceituais, metodológicas e organizacionais do programa, dialogar sobre o planejamento mais amplo, no qual cada módulo está inserido, o planejamento do próprio módulo e o compromisso docente condizente com a formação de futuros profissionais de Saúde da Família, de alto nível técnico-científico. Por isto, para conformar esta necessidade formativa, foi elaborada esta proposta, ancorada nos projetos pedagógicos do Mestrado e Doutorado, na experiência vivenciada com os docentes da primeira, segunda e terceira turmas do mestrado, nas avaliações discentes e nas atuais exigências da CAPES, bem como - e recentemente - nas sugestões apontadas pelos docentes do programa em um formulário respondido.

Acesso à Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Aguarde Novas Inscrições

Editais

Chamada Pública
Subscrever RSS - Semi Presencial