Home Inscrições prorrogadas! Novo projeto vai oferecer disciplinas articuladas entre instituições de ensino*
Voltar
Publicado em 24/09/2020
  • Cooperação
  • Cursos
  • Destaques
  • Educação a Distância
  • Portal Fiocruz
  • Vídeos

Inscrições prorrogadas! Novo projeto vai oferecer disciplinas articuladas entre instituições de ensino*

Autor(a): 
Isabela Schincariol (Campus Virtual Fiocruz)

* matéria publicada em 11/9 e atualizada em 24/9

Comum, segundo o dicionário, é qualidade do que pertence a dois ou mais elementos, do que é feito em comunidade. Comum é também a essência do novo projeto nascido da cooperação entre instituições de ensino superior públicas do Rio de Janeiro para a promoção do conhecimento e divulgação científica. A Fiocruz integra essa iniciativa, intitulada Saber Comum, cujo objetivo é disponibilizar, com largo alcance e maior acessibilidade, um leque de disciplinas remotas e interdisciplinares de formação geral sobre temas que adquiriram grande relevância durante a pandemia e que continuarão pautando os debates públicos após o seu término. O projeto é voltado para estudantes de todas as áreas do conhecimento e valerá crédito nos programas de pós-graduação. As inscrições foram prorrogadas até 2 de outubro. Conheça as disciplinas e participe. 

Alunos da Fiocruz devem se inscrever como 'aluno externo da UFRJ', solicitando formulário disponível aqui

Democracia, desigualdades e direitos” e “Saúde e ciência em tempos de pandemia” são as duas disciplinas que inauguram o projeto. Em seu escopo, a iniciativa tem uma dupla missão. De forma mais ampla, ser uma plataforma de divulgação científica e cultural para a população fluminense em geral, pois terá seu conteúdo transmitido em TV aberta (TV Alerj: canais 12 (NET) 235 (VERTV) 19.2 (UHF Digital) e pelo canal do youtube da AlerjTV. De forma mais estrita, visa oferecer educação formal com a realização de cursos massivos, valendo créditos como disciplinas eletivas.

Cada uma das disciplinas prevê a oferta de mil vagas em 2020 e uma carga horária total de 45h, sendo 15h de videoaulas e 30h de atividades na plataforma. A previsão é que as aulas tenham início ainda em setembro. Elas serão transmitidas em dois veículos: Vídeoaulas na TV Alerj – parte expositiva do curso formal; divulgação científica para o público leigo; síncrono na TV, mas também disponível online – e Ambiente Virtual de Aprendizagem – com materiais complementares; atividades e avaliação; atividades majoritariamente assíncronas, mas também com eventuais encontros síncronos.

Participam desse acordo, a Fiocruz, a Universidade Federal Fluminense (UFF), a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que coordena a iniciativa.

A vice-presidente de Educação, Informação e Comunicação da Fiocruz, Cristiani Vieira Machado, falou sobre a satisfação de participar da iniciativa e enfatizou a articulação institucional neste momento delicado que estamos vivendo. “Temos a capacidade de superar, nos reinventar e inovar, buscando sempre expandir o acesso e o conhecimento científico e em saúde a temas estratégicos para toda a sociedade”, disse ela. O Projeto Saber Comum foi pauta de debate, em 2 de setembro, no Encontros Virtuais de Educação. Na ocasião, a professora da UFRJ e coordenadora do Fórum de Ciência e Cultura da Universidade, Tatiana Roque, apresentou a nova iniciativa à comunidade Fiocruz.

Democracia, desigualdades e direitos

Incorporando uma perspectiva interdisciplinar entre economia, história, sociologia, antropologia, ciência política e direito, e assumindo as dimensões nacionais e internacionais, a disciplina pretende discutir: conceitos, funcionamentos e desafios da democracia e suas instituições (autoritarismo, sistemas políticos, eleitorais e partidários, políticas públicas, mídia); as desigualdades crescentes em várias partes do globo, em suas múltiplas dimensões - de classe, mas também as desigualdades de gênero e raça -, bem como sua interface com o mercado de trabalho, os percursos educacionais e a organização do Estado; e os direitos, sua constituição histórica e o papel dos movimentos sociais.

Coordenadores: Alexandre Fortes (UFRRJ), Célia Kerstenetzky (UFRJ), Fábio Waltenberg (UFF), Felipe Borba (Unirio) e Luiz Augusto Campos (Uerj)

Saúde e ciência em tempos de pandemia

Com interdisciplinaridade entre os campos das biomédicas, saúde coletiva, filosofia e história da ciência, a disciplina prevê os seguintes módulos: noções de epidemiologia, infectologia, virologia e complicações da Covid-19; sistema de saúde: SUS e sistema suplementar, relação entre público e privado, regulação, história, organização e planejamento do serviço, planos de ação e mitigação etc.; indústria e inovação em saúde: pesquisa de medicamentos, vacinas, transferência tecnológica, relações internacionais, patentes, investimentos estatais; ciência e sociedade: metodologia científica, combate às fake news, divulgação científica história e filosofia da ciência.

Coordenadores: Carlos Gadelha (Fiocruz), Cláudio Tinoco (UFF), Roberto Medronho (UFRJ) e Rodolfo Castro (Unirio)

Encontros Virtuais de Educação debateu a oferta de disciplinas em parceria com universidades públicas 

O nono debate realizado no âmbito do Encontros Virtuais de Educação recebeu a professora da UFRJ e coordenadora do Fórum de Ciência e Cultura da Universidade, Tatiana Roque, para falar sobre o novo projeto Saber Comum e apresentá-lo à comunidade Fiocruz. O encontro foi realizado em 2/9 e contou também com a apresentação dos representantes das disciplinas ofertadas pelo projeto Alexandre Fortes (UFRRJ) e Felipe Duvaresch Kamia (Fiocruz). 

Em sua apresentação, Tatiana lembrou que a base do Saber Comum vem de uma experiência prévia da UFRJ com o Colégio Brasileiro de Altos Estudos e o Núcleo de Rádio e TV, que já oferecem disciplinas transversais eletivas aos alunos de todos os cursos de pós-graduação da Universidade. “Com a pandemia, ficou muito nítido que alguns saberes específicos não podem mais ficar restritos apenas às pessoas que trabalham ou estudam determinadas áreas”, argumentou. 

Tatiana explicou ainda que as aulas serão transmitidas em TV aberta, mas ficarão disponíveis em redes sociais e poderão ser retransmitidas por outros veículos, como o Canal Saúde da Fiocruz, por exemplo – ação que está em processo de negociação. Ampliando, assim, o alcance da população e as parcerias institucionais. Tatiana comentou que esse é um projeto piloto e que futuramente a ideia é ampliá-lo, envolvendo outras disciplinas, além de programas de graduação. 

Alexandre Fortes, que é pró-reitor de Pesquisa e Pós Graduação da UFRRJ e coordenador da disciplina “Democracia, desigualdades e direitos”, falou sobre a sua criação e destacou que o trabalho com a TV aberta expande as possibilidades, mas, ao mesmo tempo, desafia as instituições a proporem e inovarem na área da educação. Ele frisou que as conexões pré-existentes facilitaram enormemente a superação de questões burocráticas e de regulamentações institucionais para essa oferta conjunta, dando celeridade ao processo.

Felipe, que é docente e integrante do Grupo de Pesquisa sobre Desenvolvimento, Complexo Econômico Industrial e Inovação em Saúde (GIS/Fiocruz) detalhou o desenho da disciplina “Saúde e ciência em tempos de pandemia” e apontou que a produção de inovação efetiva em saúde depende de uma conjunção entre os vários campos do conhecimento, o que reflete também o espírito desse novo projeto. Já o coordenador das Ações de Prospecção da Fiocruz, Carlos Gadelha, que também é o responsável pela disciplina “Saúde e ciência em tempos de pandemia”, ressaltou que o entendimento das instituições e entre os campos diversos é fantástico, destacando ainda que “é preciso mostrar a nossa produção e defender a ciência e a saúde como um valor, especialmente neste momento tão dramático que estamos vivendo”.